• Supermercado Couto Lagarto - O melhor supemercado da região bem pertinho de você

Caso Verônica: Justiça descobre nova motivação do crime envolvendo um seguro de vida

Se uma das associadas morressem, a irmã em vida receberia uma quantia em dinheiro, o que levantou mais suspeitas

Nesta terça-feira (24), foi realizada mais uma audiência do caso Verônica, jovem de 22 anos conhecida como ‘Mel’, assassinada em 2021 no município de Areia Branca. A audiência foi necessária após a descoberta de uma apólice de seguros que Verônica fez em vida com a irmã Elissandra de Jesus Oliveira, uma das envolvidas na morte da jovem.

Continua após a publicidade..

Essa apólice pode ter sido mais uma motivação para o homicídio, já que se uma das associadas morressem, a irmã em vida receberia uma quantia em dinheiro. O marido de Elissandra, Everton dos Santos Costa, também participou do crime, assim como o taxista Marcelo Lima, que ajudou a transportar o corpo da vítima. Os três envolvidos estão e permanecem presos até a realização do júri popular.

A mãe de Verônica, Maria Luciene Barbosa, esteve no fórum onde a audiência ocorreu, e disse que toda a família ainda está na expectativa por justiça. “Já são dois anos desde que tudo aconteceu e a cada dia que passa só aumenta o meu sofrimento. Eles podem passar o resto da vida na cadeia, mas mesmo assim não vão pagar o que eles fizeram com a minha filha”, lamentou a mãe.

Além disso, Verônica deixou dois filhos, que estão sob a guarda da avó Maria Luciene. Segundo ela, as crianças vivem perguntando pela mãe e dependem de medicamentos e acompanhamento médico para lidar com o trauma.

Ainda, de acordo com a advogada da família, Monalisa Dijean, após a audiência, a justiça possivelmente dará uma posição sobre a data do júri popular. “Eles respondem pelos crimes de homicídio, ocultação de cadáver e agiotagem. A descoberta dessa apólice pode, inclusive, aumentar a pena da Elissandra”, detalhou.

Continua após a publicidade..

Relembre o caso

Verônica Elisiane Barbosa Mesquita foi encontrada morta no dia 10 de novembro de 2021 no povoado Pedrinhas, próximo à BR-235, em Areia Branca. Ela foi esfaqueada, teve o corpo queimado e abandonado no local. No total, seis audiências já foram feitas mas o processo ainda não foi finalizado na Justiça. Fonte a8se

LagartoComoEuVejo.com.br

PUBLICIDADE
  • Minas Telecom

2 COMENTÁRIOS

  1. Seguro de vida só em casos extremos: empréstimos a longo prazo; viagem de avião e doença terminal. O dinheiro é uma faca de dois gumes, proporciona felicidade mas atrai a atenção dos invejosos.

  2. O seguro deve ser dado aos filhos e não a irmã assassina. Justiça seja feita, prisão pra os culpados e reparação dando o seguro aos filhos da vitima

Deixe uma resposta