• Supermercado Couto Lagarto - O melhor supemercado da região bem pertinho de você

Conselho de Saúde de Sergipe discute sobre vários temas do SUS no estado

465sf4s6d5fg

Em toda última terça-feira do mês, o Conselho Estadual de Saúde de Sergipe (CES/SE) se reúne para discutir e deliberar sobre assuntos pertinentes ao Sistema Único de Saúde (SUS) estadual. Na última terça-feira, 25 de outubro, foi realizada na Fundação Estadual de Saúde (Funesa), a 261ª Reunião Ordinária.

Os principais temas debatidos foram a apresentação da Minuta do Código de Ética do CES/SE realizada pela Comissão de Ética, apresentada pelo conselheiro Silberlan Neves; a discussão sobre as tratativas da mudança da Classificação Internacional de Doenças – CID 11 – relativa à síndrome de Burnout, que passou a ser classificada como doença ocupacional, apresentada pelo conselheiro Sandro Azevedo; o debate sobre os atendimentos via pronto-socorro do Hospital Regional de Lagarto, explanado pelo conselheiro Thiago Cavalcante; e ainda foi formada a Comissão Organizadora para a realização da 8ª Conferência Estadual de Saúde, que compõe a etapa estadual da 17ª Conferência Nacional de Saúde, que ocorrerá em maio do ano que vem, em Brasília.

Outro tema importante destacado pelo conselheiro e Coordenador de Comunicação da Mesa Diretora do CES/SE, Antonio Luiz dos Santos, foi sobre as campanhas de vacinação contra a poliomielite e meningite. Para ele, é preciso conscientizar as pessoas da importância de imunizar as crianças. “A meta dessas campanhas é vacinar 95% das crianças e não se está conseguindo. Não sei o que está ocorrendo com os pais que não levam os seus filhos para vacinar. Eles não têm noção do que é viver com as sequelas da pólio, com o capacitismo, que é o preconceito contra as pessoas com deficiência. Eu sou uma vítima da poliomielite, por exemplo. Esta terrível doença destrói os neurônios motores e não há cura”, ressaltou.

A conselheira pelo segmento Gestor, Giza Ávila, informou que o Brasil desde 1994 não apresenta casos de poliomielite. No entanto, apesar de todas as estratégias do Programa Nacional de Imunização (PNI), o país não vem conseguindo atingir as metas das campanhas nos últimos anos. Em Sergipe, a campanha de vacinação contra a pólio atingiu 83% de cobertura e a de meningite só alcançou 69% até o momento em que foi avaliado (manhã da terça-feira, 25/10/2022).

Por Gleydiomar Souza Góis (DRT/SE – 804)

 Ascom/CES/SE

Conselho Estadual de Saúde de Sergipe (CES/SE)
3246.5692 / 5772

PUBLICIDADE
  • Minas Telecom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui