Supermercado Couto

Acidente com ônibus da banda de Devinho Novais foi causado por excesso de velocidade

Perícia da Polícia Rodoviária Federal aponta que ônibus estava a 100km/h em um trecho da BR-101 onde a velocidade máxima permitida é de 40km/h.

Acidente com ônibus do cantor Devinho Novaes tomba na BR-101, em São Sebastião, Alagoas — Foto: Divulgação

O acidente com o ônibus que transportava a banda do cantor Devinho Novais e que terminou com a morte do saxofonista Cláudio Douglas dos Santos Oliveira, conhecido como Jack Sax, de 34 anos, foi causado por excesso de velocidade. É o que aponta a perícia feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). A informação foi divulgada nesta sexta-feira (11).

O g1 conversou com Abelardo Silva, escrivão da Delegacia de São Sebastião, município do Agreste de Alagoas, onde o acidente aconteceu em um trecho da BR-101. Ele explicou que os documentos da PRF apontam que no local do acidente há placas de sinalização que indicam que a velocidade permitida na via é de 40 km/h e que o ônibus trafegava em uma velocidade muito superior a permitida.

“Essa semana nós começamos as oitivas. Já ouvimos o pai e a esposa do Cláudio Douglas [saxofonista que morreu no acidente]. Nós também recebemos o Boletim de Ocorrência feito pela perícia da PRF, uma vez que acidente ocorreu em uma rodovia federal. Esses documentos informam que o disco do tacógrafo aponta que o ônibus estava a 100 km/h no momento do acidente”, explicou o escrivão.

Tacógrafo é o equipamento de medição que registra a quantidade de quilômetros percorridos e a velocidade com que o veículo se desloca nas estradas. Isso significa que o tacógrafo permite saber quantos quilômetros foram percorridos em um determinado período.

Para a PRF, o motorista disse, ainda no local do acidente, que é motorista há 35 anos e que por experiência achou que dava para contornar a curva na velocidade que trafegava.

O escrivão disse ainda que representantes da empresa do cantor e da banda serão intimados a depor na próxima semana. Além deles, a Polícia Civil deve ouvir duas pessoas que estavam no ônibus e que as oitivas deverão ser concluídas com o depoimento do motorista.

“Não necessariamente o cantor precisará ser chamado a depor. Mas o Boletim de Ocorrência da PRF já foi bastante conclusivo sobre o que causou o acidente”, antecipou. Por Erik Maia, g1 AL

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui