Supermercado Couto

Saúde alerta sobre a necessidade de redobrar os cuidados com a Dengue, Chikungunya e Zika

A instabilidade do tempo pode contribuir para a ocorrência de muitas doenças. Nesse período em que a variação climática oscila entre momentos de muito calor e chuva em Sergipe, o mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika encontra o ambiente propício para a sua proliferação. Para evitar o aumento do vetor e, consequentemente, da doença, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), orienta que a população deve redobrar alguns cuidados. 

De acordo com  a gerente de Endemias da SES, Sidney Sá, é necessário que a população sergipana evite o acúmulo de água parada nas lavanderias, tanques, caixas d’água, vasos de plantas e em outros locais que possam ser um criadouro do mosquito, como o reservatório de água da geladeira. 

“É muito importante  redobrar os cuidados agora no início do ano. O nosso  verão vem com muitas chuvas, chuvas essas que  só ocorrem  no começo do dia ou no final do dia, e o resto do dia permanece com muito sol, então é importante que a população fique em  alerta  em relação a presença do mosquito, faça aquela  tradicional fiscalização em sua casa, nos reservatórios de água, para que fiquemos no controle da situação do Aedes aegypti”, salienta Sidney Sá. 

Segundo as informações disponibilizadas pelo último  Boletim epidemiológico publicado em novembro pela  SES sobre as arboviroses,  que  analisa  de 03 de janeiro a 06 de novembro, as confirmações para dengue foram 595, 2.535 pessoas tiveram Chikungunya e 277 foram as confirmações de casos de Zika.

Além dos cuidados por parte da população, a SES segue realizando as ações de combate ao mosquito, utilizando o carro fumacê. “Assim que cessaram as chuvas de inverno, em 2021,  trabalhamos intensamente  com o uso do carro fumacê naqueles municípios que sinalizaram o índice elevado  na questão do vetor. Em virtude justamente da pandemia e da dificuldade de trabalharmos nas residências, por causa dos protocolos sanitários intensificamos o uso do fumacê. Para isso, também observamos se em cada território estava havendo o crescimento de casos e o indicador etimológico, que é a presença do vetor. Mas os municípios já estão retornando as atividades rotineiras  com a visita dos agentes casa a casa”, disse.   

A gerente  de endemias ainda enfatiza que a população tem um papel crucial no combate ao mosquito. “A Dengue e as demais arboviroses são doenças que podemos prevenir tomando os cuidados para que o  mosquito não se prolifere. A população é uma grande parceira nossa  para contribuir no controle do vetor e dessa forma conseguiremos uma diminuição cada vez maior das arboviroses em Sergipe”, finaliza.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui