Supermercado Couto

Egressos de Enfermagem da UFS de Lagarto são aprovados em Residência do Sírio Libanês, referência nacional em Saúde

Três egressos da turma mais recente de Enfermagem do campus Lagarto da UFS foram aprovados em Residências do Hospital Sírio Libanês, uma das maiores referências nacionais em saúde. Alysson Santos e Lavinia Melo comemoram os primeiros lugares nas Residências “Uniprofissional Enfermagem, Urgência e Emergência” e “Residência Multiprofissional em Cuidado ao Paciente Crítico”, respectivamente. O enfermeiro Wanderley Williams também foi aprovado na Residência “Uniprofissional Centro Cirúrgico e CME” [Central de Material e Esterilização] da mesma instituição. Além das aprovações no Sírio Libanês, o conhecimento adquirido em Lagarto também vai estar presente em Minas Gerais, com a aprovação de Milena Rabelo no Hospital Sofia Feldman, em Belo Horizonte.

Fazer Residência já era um plano antigo de Lavínia “Desde o começo eu já sabia que queria fazer Residência, pois via por causa da minha irmã, que fez aqui em Sergipe mesmo”, comenta. A decisão pela área de atuação, no entanto, veio depois. “Eu sempre gostei dessa área, mas foi durante a fase de estágio no HUL, já na pandemia, que eu percebi que era a esse paciente de alta complexidade que eu gostaria de dedicar meu trabalho”, pontua.

Já Alysson Santos, da mesma turma, sempre teve certeza de seu interesse em aprender mais sobre pacientes com trauma. Ele conta que a escolha foi realizada durante uma disciplina da graduação (Saúde do Adulto II, com o professor Eduesley Santana) que teve certeza de que essa seria sua escolha. “Antes mesmo de entrar no curso, eu sempre gostei dessa parte de paciente com trauma, atendimento no SAMU, etc”, observa. Alysson considera que algumas características do curso e do campus foram importantes aliadas de sua aprovação.

Morador de Itabaiana, a cerca de 40 km de Lagarto, o enfermeiro acredita que a localização do campus foi um facilitador. “Ajudou demais ter um campus no interior. Isso me possibilitou ir para as aulas e voltar todos os dias para casa, um fator importante em termos financeiros e de deslocamento”, pontua.

Outro aspecto relevante foram as metodologias ativas. “No fim do curso, quando eu comecei a fazer a preparação, vi que era um quantitativo enorme de conteúdo para as seleções da Residência. Mesmo assim, consegui ficar tranquilo e fazer isso bem porque aprendi ao longo da graduação a estudar com autonomia, o que foi essencial nesse momento”, avalia.

O diretor-geral do campus, professor Makson Oliveira, também acredita que este seja um fator importante. “As metodologias ativas formam um novo olhar do profissional e a gente consegue enxergar cada uma dessas aprovações como um reflexo do trabalho realizado no campus”, pontua.

Chefe do Departamento de Enfermagem, o professor Allan Dantas acredita nas metodologias ativas e no esforço conjunto como fatores de sucesso dos bons resultados do curso. “As metodologias ativas contribuem muito no processo de formação técnica, humana e científica. Além disso, nosso corpo docente [15 professores atualmente] considera sempre a evolução do mercado e as necessidades locais e regionais”, observa. “A UFS lagarto vem cumprindo seu papel na formação de recursos humanos pra o SUS. Não poderia deixar de registrar também o esforço conjunto de professores e servidores técnicos , exemplo disso é o conceito máximo do MEC obtido nas duas últimas avaliações consecutivas realizadas (ENADE 5), acrescenta.

Considerado uma das maiores referências em Saúde no Brasil, o Sírio Libanês entrou em funcionamento em 1965. Foi o primeiro hospital brasileiro a implantar uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), seis anos depois.

Ana Laura Farias/Campus Lagarto

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui