Acusado de praticar assaltos e estupros é preso em Lagarto

José Nildo costumava agir em uma moto de cor preta, usando capuz e uma jaqueta com a estampa de Bob Marley.

COMPARTILHAR

Uma ação conjunta das equipes do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), Delegacia Regional de Lagarto e da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol), realizada na tarde desta terça-feira (10), resultou na prisão José Nildo de Jesus Santos, 32. Ele é acusado de praticar assaltos e estupros na área do Centro de Lagarto. Até o momento, José Nildo foi reconhecido por três mulheres.

A delegada do DAGV da Regional de Lagarto, Ana Paula Moreira, explicou que o acusado costumava agir em uma moto de cor preta, com capacete, capuz e uma jaqueta com a estampa de Bob Marley nas costas. Um dos crimes aconteceu na noite do dia 26 de agosto, quando José Nildo abordou duas mulheres que estavam nas imediações do Centro de Lagarto e, após o roubo, obrigou uma delas a subir na moto e a levou até um local ermo, onde praticou o estupro.

O ocorrido foi registrado no DAGV, que passou a investigar o caso. Três dias depois, duas mulheres procuraram o Departamento para denunciar que haviam sido assaltadas e uma delas estuprada. Assim como no crime anterior, um homem armado, que estava em uma moto de cor preta, usando capacete e uma jaqueta com a estampa de Bob Marley, assaltou oito pessoas que estavam na área do central do município, dentre elas duas mulheres. Uma vítima relatou à polícia que, após o assalto o criminoso praticou atos libidinosos, enquanto a outra foi levada na moto até uma área distante e estuprada.

Com o apoio da Dipol, a equipe do DAGV de Lagarto aprofundou as investigações e conseguiu chegar a identificação e endereço de José Nildo. “Os policiais encontraram na casa de José Nilson uma jaqueta com as descrições idênticas as utilizadas pelo assaltante e estuprador”, disse a delegada, acrescentando que o acusado foi chamado para depor na delegacia, onde foi fotografado e reconhecido pelas mulheres.

“Uma das vítimas não só reconheceu o autor pela imagem, mas, também pela voz”, ressaltou a delegada Ana Paula Moreira. Ela lembrou que os detalhes passados pelas vítimas dos estupros sobre o autor do crime, a exemplo do modelo da sandália, foram importantes para prisão e identificação dele. Nos levantamentos realizados, a equipe do DAGV também chegou ao local utilizado por José Nilson para praticar os estupros. “Os abusos aconteciam em um povoado, que fica a 5km da sede do município de Lagarto”, ressaltou a delegada.

José Nildo permanece recolhido na carceragem da Delegacia Regional de Lagarto. A delegada acredita que com a divulgação da foto do acusado outras vítimas devem aparecer.

9 COMENTÁRIOS

    • Qual a garantia que você tem disso? Está com ele o tempo todo? Estava com ele nos dias e horários dos crimes?
      Uma coisa é você declarar que ele é “assim ou assado” em termos comportamentais, mas daí atestar a inocência dele, frente ao trabalho sério da polícia, bem como o reconhecimento das vítimas… Aí fica difícil, Lagartense!
      Um estuprador não anda se apresentando por aí como Estuprador. Eles vivem às escondidas. Surpreende a muitos e deixa outros(acredito ser seu caso) sem acreditar.
      Reflita se vale a pena sair fazendo defesa gratuita de uma pessoa que você só é vizinho!
      A acusação que pesa sobre ele é das mais graves que possa existir, em sendo culpado, não merece perdão!

  1. Injustiça é uma pessoa comprar um celular ,parcelar e vim um vagabundo desse e roubar …. O celular roubado é o de menos e sofrer um estrupo? Imagina o que essas mulheres passaram ,mim dar agonia só de imaginar .Já pensou se fosse alguém de sua família ? Ponha se no lugar dos outros! Seu doce vai ter la dentro da cadeia ! !
    #ContraEstrupo

  2. Primeiro deixe prova para nós julgar mais a justiça de Deus e reta e não falha vcs sabem disso quantos aí já foram inocentados vcs lembra o caso dos meninos do jardim campo novo que estava sendo culpados do latrocínio da mulher do celular e não foram eles e acharam o culpado mais todos diziam que era eles e aí vcs dizem o que

    • Mas até agora você não respondeu às minhas perguntas:
      Qual a garantia que você tem disso? Está com ele o tempo todo? Estava com ele nos dias e horários dos crimes?
      Se sua resposta pra essas perguntas forem positivas, aí dou meu braço a torcer e sugiro que urgentemente procure um advogado, mas se você não puder responder a essas perguntas com um sim, INFELIZMENTE, acho que sua defesa não faz sentido.
      Prefiro acreditar no trabalho policial, bem como nas vítimas em suas declarações de reconhecimento de autor e de objetos por ele utilizados durante o cometimento dos crimes.
      Acho que são indícios suficientes de autoria.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here